Introdução ao Windows - Arquivos de Configuração do Windows 9X

ARQUIVOS DE CONFIGURAÇÃO DO WINDOWS 9X

MS-DOS.SYS

O MS-DOS.SYS era o arquivo mais importante do Sistema Operacional Ms-Dos, pois ele controlava toda a memória que o MS-DOS poderia enxergar. Sendo um arquivo que continha rotinas de programação executáveis. O MSDOS.SYS no Ms-Dos, era um arquivo binário.

No Windows 9x, porém tudo mudou completamente de figura. As antigas funções do MSDOS.SYS foram incorporadas pelo IO.SYS no Windows 98. A nova função do MSDOS.SYS era então controlar o modo como o sistema operacional era inicializado.

MSDOS.SYS

[ Paths ]

WINDIR = C:\WINDOWS

WINBOOTDIR = C:\WINDOWS

HOSTWINBOOTDRV = C

[ Options ]

BOOTMULT = 1

BOOTGUI = 1

BOOTMENU = 1

BOOTDEDEY = 6

LOGO = 0

NETWORK = 0

VARIÁVEIS DO MSDOS.SYS:

[ PATHS ] = Essa seção indicava o caminho para alguns diretórios importantes, armazenando-os em variáveis.

WINDIR = Definia a localização do diretório de instalação do Win 98.

WINBOOTDIR = Definia onde estavam localizados os arquivos necessários ao processo de inicialização, geralmente C:\Windows.

HOSTWINBOOTDRV = C:  Definia a localização do diretório raiz usada no processo de Boot.

[ OPTIONS ]= Essa seção armazenava variáveis que podiam mudar o comportamento de inicialização do Sistema Operacional.

AUTOSCAN= Permitia definir se o Scandisk seria executado automaticamente quando o computador fosse reiniciado. Para desabilitar essa função, o valor seria mantido em 0. Se o valor fosse 2 o scandisk seria executado automaticamente quando fosse necessário, sem solicitar confirmação.

BOOTMENUDELAY = N: Quando o computador era inicializado, o usuário teria n segundos para pressionar uma tecla de função ( F8, ESC, Etc. ) que deveria ser pressionada após o aparecimento da mensagem de inicialização do Windows 98 ou um pouco antes.

BOOTKEY= N: Habilitava o uso de teclados de função durante a inicialização. Quando o valor 1 era atribuído a essa variável, as teclas não teria nenhum efeito e qualquer valor atribuído a Bootdelay = n seria ignorado.

BOOTMULT = 1 Ou 0

O Default 1 permitia que o usuário pudesse escolher o Sistema Operacional a ser utilizado na ocasião da inicialização da máquina. O valor “ 0 “ travava essa opção, obrigando o micro a utilizar o Sistema Operacional escolhido com Default.

Obs.: Essa opção só fazia sentido quando instalávamos o Windows 95 ou Win 98.

BOOTWIN = 1 ou 0: O número 1 fazia com que o Sistema Operacional Default fosse o Win 9X. Se alterarmos para 0, o Sistema Operacional escolhido seria a antiga versão do MS-DOS que se encontrava na máquina na ocasião da instalação do Windows.

BOOTGUI = 1 ou 0: Válidas apenas se Bootwin = tivesse sido definida com valor 1, ou se aquela variável não existisse no MS-DOS.SYS.

Se Bootgui fosse definida com 1, o Win 98 seria inicializado imediatamente após o Dos 7.10. Se a variável fosse definida com 0, um micro inicializava direto no Prompt do Dos.

LOGO = 0: esse valor 1 habilitava a exibição do logotipo animado do Windows e era estabelecido por Default.

BOOTMENU = 1 ou 0

0 – Carregava o Sistema sem mostrar o Menu de inicialização.

1 – Carregava o Menu de inicialização sem necessidade de pressionar-se a tecla de F8.

Bootmenudefault = n: Definia a opção que seria carregada à do sinal de igualdade.

Bootmenudelay = n: Definia quantos segundo o Sistema iria esperar.

ARQUIVOS DE INICIALIZAÇÃO DO WINDOWS 9X

WIN.INI

A função principal desse arquivo de inicialização era armazenar os parâmetros utilizados pelo ambiente Windows em sua área de trabalho, embora guardasse também outros tipos de informação.

Sua primeira seção denominava-se [Windows]:

[Windows]

spooler=yes

load=

run=

Beep=yes

Programas=com exe bat pif

DeviceNotSelectedTimeout=

TransmissionRetryTimeout=45

KeyboardSpeed=31

ScreenSaveActive=1

Essa seção armazenava alguns valores que poderiam ser escolhidos no painel de Controle do Windows, como, por exemplo, se o spooler ou gerenciador de impressão estava ou não ativado.

A variável programas definiam as extensões dos programas que o Windows considerava executáveis. Por default são as mesmas do MS-DOS acrescidas da extensão .PIF. algumas outras poucas poderiam ser artificialmente acrescentadas pelo usuário, como por exemplo, a extensão. SCR.

As demais opções forneciam o resultado de algumas escolhas feitas no painel de controle. Era mais seguro usar essa ferramenta do Windows para fazer tais modificações do que editar diretamente o WIN.INI.

A próxima seção é denominada[Desktop] e era a mais interessante de todas, pois permitia que o usuário inserisse uma série de variáveis que não constam como opção no painel de controle.

[Desktop]

Pattern=(nenhum)

TileWallPaper=0

GridGraunularity=0

IconSpacing=75

Wallpaper=(nenhum)

Poucas variáveis do WIN.INI eram capazes de produzir algum efeito no comportamento do Windows 9X, porém algumas delas (por exemplo, Run e Load= Executavam e carregavam qualquer programa executável.

SYSTEM.INI

Do ponto de vista do Hardware, esse era o mais importante dos arquivos de inicialização do Windows. Uma única linha errada, referência a um único arquivo de driver inexistente no SYSTEM.INI, impedia o Windows 9X de ser carregado corretamente.

A primeira seção do SYSTEM.INI era [Boot] e definia alguns itens básicos que deveriam ser carregados logo no início do Windows, por exemplo os núcleos do sistema GDI,USER, a Shell ativa, isto é, a interface de usuário a ser utilizada. Por default era o gerenciador de Programas (Progman.exe), mais você poderia mudá-la para Qualquer outro.

[Boot]

shell=program.exe

system.drv=system.drv

keyboard.drv= keyboard.drv

mouse.drv= mouse.drv

display.drv=vga.drv

comm.drv=comm.drv

sound.drv=mmsound.drv

386grabber=vga.3gr

fixedfon.fon=vgafix.fon

SCRNSAVE.EXE=C:\WINDOWS\SOSPERSW.SCR

As demais seções do SYSTEM.INI eram excessivamente técnicas, e em sua maioria, serviam para carregar dispositivos que controlavam o hardware para a memória RAM. A mais importante era a [386 Enh].

WIN.COM

O Win.com era um pequeno arquivo executável para MS-DOS e funcionava como um “gatilho” que servia para detonar o processo de carga de todos os módulos que iriam compor o ambiente Windows.

O QUE O WIN.COM FAZIA

O Win.com executava as tarefas, nesta ordem:

Verificava o tipo de máquina, a quantidade de memória e drivers instalados.

Chamava o módulo WIN386.EXE

Carregava as DLLs principais (arquivos do núcleo).

Carregava os drives de dispositivos.

Carregava as fontes e os arquivos de suporte aos idiomas utilizados.

Carregava os aplicativos não-Windows (isto é, suporte aos programas MS-DOS).

Carregava os arquivos que forneciam suporte aos componentes MS-DOS no Windows.

PROGMAN.INI

Esse arquivo definia as diversas opções de personalização para a Shell do Windows 3.1x; o Gerenciador de Programas.

CONTROL.INI

O arquivo CONTROL.INI continha diversas seções. Algumas delas eram modificadas por meio do Painel de Controle. Ele não tinha grande importância no Windows 98, tendo sido mantido por questões de compatibilidade com aplicativos WIN 16.

Adonel  Bezerra

Pós-graduado em Teoria em Educação a Distância e Docência do Ensino Superior;

MBA Executivo em Coaching;

Coordenador de cursos de pós-graduação.

Experiência em Gestão de Negócios, envolvendo-se com as áreas administrativa, financeira, comercial, produção e logística;

Experiência de mais de 20 anos como professor conferencista na área de segurança da informação;

Sólida experiência na gestão de negócios e tecnologia da informação;

Sólida experiência no meio acadêmico; 

Consultor de Segurança da informação com mais de vinte anos de experiência;

Treinamentos e palestras ministrados para milhares de profissionais em todo o Brasil;

Livro publicado pela Editora Ciência Moderna e diversos artigos publicados.

 

ALGUMAS PARTICIPAÇÕES COMO CONFERENCISTA OU PALESTRANTE

Centro Universitário do Maranhão – UniCeuma/2009 – Apresentação “O MERCADO DE CONSULTORIA EM SEGURANÇA DE INFORMAÇÃO. 

Universidade de Fortaleza|UNIFOR – Apresentação “TÉCNICAS HACKERS PARA TESTES DE INVASÃO”.

Faculdades Integradas do Ceará – FIC/2010 – Apresentação “ SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO”.

Escola de Gestão Pública do Estado do Ceará – /2012 – Apresentação “ SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO COM SOFTWARE LIVRE”.

Faculdade La Salle – 2013 – Apresentação “ESPIONAGEM INTERNACIONAL”.

Estácio|FIC/2013 – Apresentação “ ANÁLISE DE VULNERABILIDADES COMO FATOR PRIMORDIAL NAS ORGANIZAÇÕES”.

Estácio|FIC/2015 – Apresentação “PROVA DE CONCEITO”.

Devry Brasil|FANOR Salvador/BA, Fortaleza/CE, Belém/PA, Caruaru/PE, Recife/PE, Teresina/PI    - Apresentação “ VULNERABILIDADES DE SISTEMAS COMPUTACIONAIS”.

 

PROJETO PESSOAL – 1998 – Até o momento

- Fundador e Mantenedor de um dos maiores portais de Segurança de sistema do Brasil, o portal Clube do Hacker; www.clubedohacker.com.br

Fundador e mantenedor da Academia Linux www.academialinux.com.br

Fundador da BUCOIN – www.bucoin.com.br