Introdução ao Windos - Compreendendo o arquivo IO.SYS

Compreendendo o arquivo IO.SYS

Na época em que o Ms-dos era utilizado como Sistema Operacional, esse arquivo funcionava como um dos núcleos desse sistema contendo o MSDOS – BIOS e o módulo de inicialização do MS – DOS, o SYSINIT, que consistiam em devices drivers residentes (rotinas de baixo nível destinadas a controlar os dispositivos periféricos suportados pelo computador) e, um módulo adicional de inicialização.

Com o advento do Windows 95, esse arquivos passou a ser o próprio DOS 7.10, ou seja, o Sistema Operacional em modo Real (16 bits), inserido no Windows9x, executando funções bem diferentes das anteriores.

Esse arquivo contém informações necessárias para inicializar o computador e carregar dispositivos do sistema que antes eram carregados pelos arquivos Autoexec.bat e Config.sys.

Os drivers carregados como padrão no IO.SYS incluem os seguintes arquivos:

HIMEM.SYS

IFSHLP.SYS

SETVER.EXE

DBLSPACE.BIN ou DRVSPACE.BIN

A maioria das funções comuns desempenhadas pelas várias entradas no arquivos Config.sys passaram a ser fornecidas por padrão no IO.SYS.

Parâmetros do Config.sys incorporadas ao IO.SYS

Dos=High

Himem.sys

Ifshlp.sys

Setver.exe

Files=

Lastdrive=

Buffers=

Stacks=

Shell=command.com

Fcbs=

Nota: O IO.SYS não carrega o EMM386.EXE. Se qualquer um dos seus aplicativos exigir memória expandida, ou carregar os dados para a área de memória superior, o EMM386 deverá ser definido no Config.sys.

COMMAND.COM

Este arquivo é o interpretador de comandos padrão do MS-DOS e demais sistemas da Microsoft, mesmo os mais modernos tem um interpretador de comando.

Este interpretador de comandos servirá de interface entre o usuário e o Sistema, sendo capaz de executar um grupo de funções internas, tais como manipular arquivos ou interpretar arquivos de processamento em lote (que fornecem uma limitada linguagem de programação, útil para escrevermos pequenos programas compostos de uma sequência de comando do MSDOS). Quando executado, inicialmente o COMMAND.COM procura por um arquivo chamado AUTOEXEC.BAT e, se existir, interpreta-os antes de qualquer outra operação.

Este arquivo estava residente em dois diretórios sendo o primeiro no diretório raiz, a inexistência desse arquivo neste diretório, fazia com que o sistema operacional não inicializasse, acusando a falta de um interpretador de comandos.

O segundo estava presente no diretório C:\Windows, a inexistência desse arquivo neste diretório também fazia com que o sistema não acesse o modo DOS.